A J.Garraio

A J. Garraio & Ca é uma empresa de equipamentos náuticos fundada em 1860 pelos irmãos João e Joaquim Basílio Garraio. Sedeada desde sempre no Cais do Sodré, a J. Garraio iniciou a sua actividade com a regulação de cronómetros de bordo (fazendo uso do seu observatório com luneta de passagens), comercialização de instrumentos náuticos e fundação de uma escola de navegação, na qual se formaram muitos dos capitães da marinha mercante.

Sextantes, agulhas de marear, bitáculas, faróis, relógios para câmaras, buzinas de nevoeiro, barómetros, barógrafos, odómetros, hélices, rotadores e telégrafos, eram apenas alguns dos mais importantes instrumentos de navegação de navios comercializados pela J. Garraio na época.

Pautando a sua actividade e desenvolvimento pela precisão e segurança dos equipamentos comercializados e pela qualidade da informação disponibilizada, a J. Garraio edita, em 1874, as “Taboas Náuticas” de John William Norie, em português, e inicia a publicação de um “Almanach Marítimo”. Características de faróis, transcrições de roteiros da costa de Portugal Continental e territórios portugueses, legislação diversa e artigos de interesse geral para quem andava no mar, eram informações com que se podia contar neste almanaque, publicado durante 45 anos.

Já no início do século XX, a J. Garraio é nomeada sub-agente para a venda de “Cartas Geographicas do Almirantado Inglez” e “Casa Norie“, e tornando-se representante, em Portugal, das casas Kelvin, Bottomlev & Baird, Imray Laurie, Norie e Wilson, em 1917.

Dois anos depois, José Rodrigo de Menezes sucede aos irmãos Garraio, assumindo a responsabilidade de dar continuidade ao desenvolvimento constante e sustentado da Casa Garraio. Acompanhando a evolução técnica, transforma então, a oficina primitiva, reapetrechando-a, aperfeiçoando-a e alargando o seu âmbito no fabrico de instrumentos náuticos eléctricos e de precisão, alguns dos quais presentes em exposições internacionais e premiados com o Diploma de Honra na Exposição do Rio de Janeiro de 1922 e “Grand Prix” de Sevilha em 1929. Desta forma, telégrafos de ordens para bordo, luzes de navegação e bitáculas das marcas registadas "Transatlantica" e "Pescadora", anteriormente importados do estrangeiro, passam a ser fabricados em Portugal. A J. Garraio passa também a desenvolver o fabrico especial de agulhões, para os Doris da pesca do bacalhau.

Em 1943, um artigo do Jornal da Marinha Mercante referia que, durante a sua longa existência, a Casa Garraio prestava relevantes serviços à navegação, fornecendo o Arsenal de Marinha e as mais importantes empresas armadoras da marinha mercante da altura - Empreza Nacional de Navegação, Empresa Insulana de Navegação, Companhia Nacional de Navegação, Sociedade Geral de Comércio Indústria e Transportes, Casa Bensaude e todas as demais carreiras de navegação a vapor e à vela. Já durante a última guerra mundial, devido à dificuldade de aquisição de instrumentos náuticos no estrangeiro, quase todos os navios construídos em Portugal passam a ser equipados com os instrumentos fabricados pela Casa Garraio, com Patente de Introdução de Nova Indústria.





Em 1948, a J. Garraio é nomeada Agente Exclusivo do Almirantado Britânico em Portugal, após assinatura do acordo com o U.K. Hydrographic Office (UKHO). Por esta altura, representa, também em exclusivo as seguintes companhias:


  • Heath Company, - fabricante de agulhas sextantes;
  • Kelvin Hughes & Son – fabricante de equipamento marítimo;
  • Kockums Mekaniska, - fabricante de apitos typhon a ar comprimido e a vapor;
  • Svenska Aktiebolaget, - fabricante de odómetros automáticos de pressão, da marca "SAL";
  • Thomas Mercer - fabricante dos cronómetros e relógios especiais para marinha.

No âmbito da representação do UKHO, e mormente os altos e baixos que a economia do nosso país tem atravessado, temos investido fortemente na implementação das novas tecnologias de forma a melhor servir o navegante. A implementação das novas tecnologias a que nos referimos, têm exigido da nossa empresa um enorme esforço não só em termos financeiros, mas também em termos de formação profissional. É desta forma que há cerca de 25 anos implementamos o serviço de correcções às cartas náuticas produzidas pelo UKHO e que são publicadas com uma periodicidade semanal através dos “Admiralty Notices to Mariners”. Desta forma, e apesar da distância que separa Lisboa de Taunton, as cartas náuticas do Almirantado são vendidas pela J. Garraio actualizadas e corrigidas.

Em 1959, sob proposta da DHN para o Director-geral de Marinha, a J. Garraio é autorizada a tornar-se revendedor de cartas e publicações náuticas editadas pelo Instituto Hidrográfico. Existem no entanto registos de um provável despacho de Sua Ex.ª o Ministro da Marinha, datado de 1952, que eventualmente já nessa altura autorizou a J. Garraio a vender cartas e publicações náuticas do Instituto Hidrográfico, no entanto não possuímos por enquanto evidência física desse documento.

Desde 1972, a J. Garraio é liderada pela familia Viegas Nascimento, que tem, ao longo do tempo, apostado e investido, de forma contínua, na expansão e actualização das instalações, implementação de novas tecnologias e formação dos seus colaboradores.

Em 1996, o UKHO lançou um novo serviço no mercado, denominado “Admiralty Raster Chart Service” (ARCS), baseado nas primeiras cartas electrónicas em formato raster de que há conhecimento e com cobertura mundial. Logo nesse ano, a J. Garraio começou a comercializar estas cartas, adquirindo igualmente programas adequados para lerem as cartas neste formato.


No ano de 2001, e como resposta às solicitações do mercado, a J. Garraio implementou um sistema de gestão de cartas e publicações náuticas, denominado “Chart-Track”. Este sistema permite-nos gerir todas as cartas e publicações náuticas existentes a bordo dos navios a partir de uma base de dados Oracle, por forma a que o navegante esteja sempre na posse da mais completa e actualizada informação e desta forma conduzir a sua navegação com a máxima segurança e eficácia. Este sistema tem sido utilizado na gestão de cartas e publicações náuticas a bordo de navios da Marinha de Guerra Portuguesa, como por exemplo o N.R.P. “Vasco da Gama”, N.R.P. “Álvares Cabral” e o N.E. “Sagres”.



Também durante o ano de 2001, A J. Garraio candidatou-se a distribuidor do único “Regional Electronic Navigational Chart Coordinating Centre” (RENC) existente aquela data e designado por PRIMAR. Em virtude do ajuste técnico que aquela organização resolveu levar a efeito no final de 2001, não nos foi possível atingir aquele objectivo, mas no ano seguinte, em 2002, a J. Garraio iniciou a comercialização de cartas electrónicas em formato S57. Nesse ano surgiram dois RENC, denominados respectivamente “PRIMAR-STAVANGER” e “International Centre for Electronic Navigational Charts” (IC-ENC). Este último, sediado em Inglaterra, passou logo desde o início a dispor de distribuidores autorizados e denominados “Value Added Resellers” (VAR), dos quais constava o UKHO. Mercê do estatuto conquistado desde 1948, a J. Garraio candidatou-se de imediato a distribuidor de cartas electrónicas de navegação através do UKHO.


Paralelamente, a J. Garraio propôs a sua candidatura a distribuidor autorizado do “PRIMAR-STAVANGER”. Desta forma, a J. Garraio tornou-se na primeira empresa Portuguesa, a distribuir cartas electrónicas em formato S57 provenientes dos dois únicos RENC existentes até à data, indo de encontro às necessidades do navegante que gostaria de encontrar em qualquer parte do mundo uma “one stop shopping”. No entanto, foi graças a este esforço e capacidade de resposta que a J. Garraio conseguiu fornecer cartas electrónicas em formato S57 e ARCS para os navios da Marinha de Guerra Portuguesa.


A J. Garraio realizou no ano de 2003 a concretização de um sonho que já era bastante antigo que nos permitiu encarar o futuro com alguma tranquilidade e confiança, pois na perseguição das novas tecnologias, construímos o nosso sítio na Internet onde colocamos informação sobre todos os nossos produtos, temos uma loja virtual para comercialização dos mesmos e possuímos ainda uma página com novidades onde damos a conhecer os novos produtos que nos vão chegando. Iniciamos também nesse ano a publicação de um boletim informativo em formato digital, denominado G@rraio.digital, com periodicidade trimestral. Também desta forma pretendemos dar a conhecer melhor a e darmos a conhecer os nossos produtos.





No seguimento dos produtos em formato digital que hoje têm imensa procura no mercado, o UKHO lançou em 2002 um programa designado por “Admiralty Total Tide” e mais recentemente em 2004, um outro designado “Admiralty Digital List of Lights”. Também nestes casos, estamos aptos a responder em tempo útil a qualquer solicitação que nos surja no âmbito destes novos produtos. Julgamos desta forma conseguir acompanhar e satisfazer as necessidades de um mercado cada vez mais exigente através de uma resposta rápida, pronta e eficaz.


O “Admiralty ECDIS Service”, um novo serviço criado pelo UKHO, permite combinar num serviço simples e fácil, cartas em formato raster e vectorial de forma a fornecer uma cobertura completa de cartas electrónicas para qualquer parte do mundo. Este serviço fornece cartas electrónicas no formato S57 sempre que estas existam e cartas ARCS onde aquelas não existam. A possibilidade da utilização destes dois produtos encontra-se devidamente regulamentada pela Organização Marítima Internacional (OMI) e permite aos navegantes aproveitar ao máximo os benefícios das cartas electrónicas no formato oficial S57, enquanto a sua cobertura vai crescendo, e ajuda a maximizar o investimento feito nos equipamentos utilizados para ler estas cartas e designados por “Electronic Chart Display and Information Systems” (ECDIS). À medida que novas cartas em formato S57 vão estando disponíveis, elas são automaticamente adicionadas ao “Admiralty ECDIS Service”, substituindo desta forma as suas correspondentes cartas ARCS.


Sendo desde há mais de 5 anos a J. Garraio, a única firma em Portugal a comercializar cartas electrónicas de navegação em formato S57, faria todo o sentido comercializar um equipamento que tivesse capacidade de ler as cartas neste formato. Nesse sentido, e como a J. Garraio é o representante para Portugal da PC Maritime, em 2006 a J. Garraio passou a contar também com a possibilidade de poder comercializar o Navmaster ECDIS ou ECS (Electronic Chart System), em função do tipo de cliente ou de navio em que este equipamento vai operar.


Cientes que a evolução é constante, a J. Garraio em 2007 renovou por completo o seu sitio na Internet, com uma nova imagem e com uma nova loja online, mais completa, eficaz e actual. Conscientes que o contacto com o cliente é muito importante renovámos também a nossa newsletter, de forma a fazer chegar ao cliente e forma rápida e prática, novos produtos, novidades, noticias e promoções.

O Mundo está em constante evolução, umas vezes de uma forma mais rápida, outras vezes mais lentamente. Desde o final do século passado, o Mundo está numa fase de evolução rápida. O ritmo a que as coisas de uma forma geral evoluem, faz-nos sentir, a maior parte das vezes, ultrapassados pela própria evolução. A J. Garraio, ao longo dos seus 147 anos de existência, tem tentado acompanhar essa evolução. Nem sempre tem sido fácil, no entanto estamos contentes com o caminho percorrido até agora, pois possuímos produtos e serviços que nos permitem satisfazer todo o tipo de clientes. Assim, temos produtos de elevada qualidade para a navegação de recreio, possuímos produtos topo de gama para a navegação comercial, e temos ainda a possibilidade de continuar a fornecer produtos e serviços inovadores que se encontram na linha da frente, para a Marinha de Guerra portuguesa. Este elevado grau de satisfação não nos permite descansar. Temos que continuar a trabalhar para merecer a confiança que em nós tem sido depositada. Como puderam comprovar, a J. Garraio adaptou-se perfeitamente às novas tecnologias surgidas principalmente nas duas ultimas décadas do século passado e pretende chegar ao ano de 2010, ano em que completa um século e meio de existência, como uma empresa de excelência no mercado náutico português. Daí a nossa aposta na certificação de um sistema de gestão da qualidade de acordo com as normas ISO9001 cujo processo terá inicio ainda durante o ano de 2007.